ESTUDO SOBRE O AMOR DE DEUS

Mergulhando no Amor

DEUS está associado ao amor, sendo essa Sua essência. O amor sincero e verdadeiro é algo que representa o nosso DEUS; Ele é nossa fonte de amor e também é quem nos ensina a dar e a receber amor.

“Aquele que não ama não conhece a DEUS; porque DEUS é amor.” (1 João 4:8)

Amar não é ter um sentimento.

O amor é uma escolha e não um sentimento ou uma reação natural. Reações naturais são aquelas praticadas como consequência natural de algum outro fato anterior. Por exemplo: comer é uma reação natural (a pessoa come quando tem fome), dormir é uma reação natural (a pessoa dorme quando tem sono), respirar é uma reação natural (os órgãos respiratórios naturalmente funcionam objetivando a respiração, como uma espécie de auto defesa contra a falta de ar), etc.

Já o amor esperado por DEUS é uma escolha que independe de circunstâncias ou do que outras pessoas façam. Gostar, porém, é muito diferente de amar, pois amar é dar-se, doar-se, é gastar tempo com alguém: quanto mais tempo você gastar com algo, mais amor terá por isso, ao gastar tempo em amar de uma maneira que agrada a DEUS, estará investindo e aplicando esse tempo, gerando, certamente, um grande retorno. O gostar, por sua vez, tem uma conotação de julgamento e semelhança, sendo uma relação baseada em trocas e conveniências. O grande desafio do homem é viver a sua vida em amor.

No grego antigo, havia três palavras para traduzir amor:

Amor Philéo: é o amor-amizade. Esse amor é aquele que sentimos com nossos irmãos e pais.

Amor Eros: é o amor sexual entre um homem e uma mulher e, como sabemos, deve ser praticado dentro do casamento.

Amor Ágape: é o amor que caracteriza DEUS. Trata-se do amor que DEUS tem por nós, um amor leal, firme e fiel. Não importa o que o homem faça, o amor de DEUS não aumentará e não diminuirá, simplesmente continuará o mesmo, ou seja, eterno, infinito e imensurável. É um amor tão grande a ponto de ser sacrifical.

“Porque DEUS amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna.” (João 3:16)

O diabo e o amor.

O diabo não conhece, não consegue ter ou praticar o amor. O amor para ele é algo insuportável e, como ele não suporta isso, distorce da seguinte forma:

  • Faz com que o amor philéo seja motivado por interesse;
  • Faz com que o amor eros seja praticado fora do casamento;
  • Faz com que os homens não recebam o amor ágape e tampouco vivam e distribuam esse amor.

O amor que vem de DEUS.

Ao falarmos do amor de Deus, estamos nos referindo a um amor santo e, para cumprirmos o grande mandamento de amar nossos inimigos, precisamos viver na ação do ESPÍRITO SANTO e não na da carne.

“DEUS é luz, e não há nele treva nenhuma.” (1 João 1:5)

 “Ainda que eu falasse as línguas dos homens e dos anjos, e não tivesse amor, seria como o metal que soa ou como o sino que tine. E ainda que tivesse o dom de profecia, e conhecesse todos os mistérios e toda a ciência, e ainda que tivesse toda a fé, de maneira tal que transportasse os montes, e não tivesse amor, nada seria. E ainda que distribuísse toda a minha fortuna para sustento dos pobres, e ainda que entregasse o meu corpo para ser queimado, e não tivesse amor, nada disso me aproveitaria. O amor é sofredor, é benigno; o amor não é invejoso; o amor não trata com leviandade, não se ensoberbece. Não se porta com indecência, não busca os seus interesses, não se irrita, não suspeita mal; Não folga com a injustiça, mas folga com a verdade; Tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta. O amor nunca falha; mas havendo profecias, serão aniquiladas; havendo línguas, cessarão; havendo ciência, desaparecerá; Porque, em parte, conhecemos, e em parte profetizamos; Mas, quando vier o que é perfeito, então o que o é em parte será aniquilado. Quando eu era menino, falava como menino, sentia como menino, discorria como menino, mas, logo que cheguei a ser homem, acabei com as coisas de menino. Porque agora vemos por espelho em enigma, mas então veremos face a face; agora conheço em parte, mas então conhecerei como também sou conhecido. Agora, pois, permanecem a fé, a esperança e o amor, estes três, mas o maior destes é o amor.” (1 Coríntios 13)

Esse amor não vem naturalmente após a nossa conversão a JESUS CRISTO, mas precisa ser conquistado com luta e perseverança durante a nossa caminhada com DEUS.

A nossa vida aqui na Terra é passageira e toda profecia, palavra, cura, milagre, embora sejam tremendos, um dia desaparecerão, pois são armas atuais que DEUS nos dá. Contudo, o amor é maior que todos os outros dons e somente ele permanecerá, pois quando chegar o dia de vermos ao SENHOR face a face (I Coríntios 13:12) os demais dons, além do amor, não mais serão necessários. Isso faz-nos concluir que assim como DEUS, o amor também será eterno.

O amor é tão importante em nossas vidas que JESUS resumiu todos os mandamentos em apenas dois:

“E os fariseus, ouvindo que ele fizera emudecer os saduceus, reuniram-se no mesmo lugar. E um deles, doutor da lei, interrogou-o para o experimentar, dizendo: Mestre, qual é o grande mandamento na lei? E Jesus disse-lhe: Amarás o Senhor teu Deus de todo o teu coração, e de toda a tua alma, e de todo o teu pensamento. Este é o primeiro e grande mandamento. E o segundo, semelhante a este, é: Amarás o teu próximo como a ti mesmo. Destes dois mandamentos dependem toda a lei e os profetas.” (Mateus 22:34-40)

O amor leva-nos automaticamente ao cumprimento de todos os demais mandamentos e leis do SENHOR. Nós temos de amar a todas as pessoas, mas JESUS estabeleceu uma sequência (um ranking):

1º lugar ® DEUS

2º lugar ® próximo

Mas por que devemos frequentar uma igreja?

Muitas pessoas dizem: “por que eu tenho de ir à igreja se eu já amo e faço o bem ao próximo?”. Temos pelo menos quatro respostas para isso:

1 – O SENHOR ordena a sua benção e a sua vida onde há união entre os irmãos. DEUS criou o ser humano para viver em comunhão, sendo essa uma característica e necessidade natural do homem. O isolamento do convívio social é consequência de depressão, egoísmo, orgulho, dentre tantos outros problemas causados pelo pecado e pela influência maligna. O relacionamento entre pessoas é necessário e a Igreja representa esse convívio: pessoas diferentes, que possuem funções distintas, constituindo o Corpo de CRISTO, sendo Ele mesmo o cabeça e as pessoas, os demais membros desse Corpo.

“Oh! Como é bom e agradável viverem unidos os irmãos (…) Ali ordena o SENHOR a sua benção, e a vida para sempre.” (Salmo 133:1 e 3)

2 – A igreja é uma ordenança de JESUS, sendo que o inferno não prevalece sobre a cobertura espiritual da igreja. A bíblia não nos diz que o inferno não prevalece sobre a cobertura espiritual de homens. Por esse motivo precisamos estar debaixo da cobertura espiritual de uma igreja de JESUS.

“Também Eu te digo que tu és Pedro, e sobre esta pedra edificarei a minha igreja, e as portas do inferno não prevalecerão contra ela.” (Mateus 16:18)

3 – Claro que se nós, na intimidade dos nossos quartos e casas, buscarmos a DEUS, Ele se manifestará. Isso, porém não nos isenta da responsabilidade de congregarmos em uma igreja. Ou seja, precisamos buscar tanto nas nossas casas quanto na igreja.

“Porque onde estiverem dois ou três reunidos em meu nome, ali estou no meio deles.” (Mateus 18:20).

4 – existe o “princípio do copo e da jarra”. No mundo, se alguém “pisar na bola” sucessivamente com o outro, chegará um momento em que haverá uma explosão nessa relação. Para que isso não aconteça, é necessário que enchamos o nosso copo e a nossa jarra para que consigamos amar as pessoas. Amar quem nos ama é fácil, porém amar quem nos faz o mal somente é possível através de DEUS. Tudo o que DEUS fez nas ordenanças e mandamentos não são para Ele, e sim para nós.

“Amados, amemo-nos uns aos outros, porque o amor procede de DEUS; e todo aquele que ama é nascido de DEUS e conhece a DEUS. Aquele que não ama não conhece a DEUS, pois DEUS é amor. Nisto se manifestou o amor de DEUS em nós: em haver DEUS enviado o seu Filho unigênito ao mundo, para vivermos por meio dele. Nisto consiste o amor: não em que nós tenhamos amado a DEUS, mas em que ele nos amou e enviou o seu Filho como propiciação pelos nossos pecados. Amados, se DEUS de tal maneira nos amou, devemos nós também amar uns aos outros. Ninguém jamais viu a DEUS; se amarmos uns aos outros, DEUS permanece em nós, e o seu amor é, em nós, aperfeiçoado. Nisto conhecemos que permanecemos nele, e ele, em nós: em que nos deu do seu ESPÍTITO. E nós temos visto e testemunhamos que o Pai enviou o seu Filho como Salvador do mundo. Aquele que confessar que JESUS é o Filho de DEUS, DEUS permanece nele, e ele, em DEUS. E nós conhecemos e cremos no amor que DEUS tem por nós. DEUS é amor, e aquele que permanece no amor permanece em DEUS, e DEUS, nele. Nisto é em nós aperfeiçoado o amor, para que, no Dia do Juízo, mantenhamos confiança; pois, segundo ele é, também nós somos neste mundo. No amor não existe medo; antes, o perfeito amor lança fora o medo. Ora, o medo produz tormento; logo, aquele que teme não é aperfeiçoado no amor. Nós amamos porque ele nos amou primeiro. Se alguém disser: Amo a DEUS, e odiar a seu irmão, é mentiroso; pois aquele que não ama a seu irmão, a quem vê, não pode amar a DEUS, a quem não vê. Ora, temos, da parte dele, este mandamento: que aquele que ama a DEUS ame também a seu irmão.” (1 João 4:7-21)

  • Amor a DEUS

Precisamos amar a DEUS em primeiro lugar porque é dEle que vem o nosso suprimento e capacitação. Se amarmos as pessoas acima de DEUS, poderemos tropeçar, decepcionar-nos a qualquer momento, pois todos nós, sem exceção, somos falhos. Quando amamos ao SENHOR acima de todos e de tudo, recebemos grande proteção e livramento, além de sermos cheios pelo ESPÍRITO SANTO. O amor é uma atitude que constrange as pessoas, pois o mundo não está acostumado a isso; o amor de DEUS, então, constrange-nos a tal ponto de não mais suportarmos a sujeira em nossa vida.

Se um dia suportarmos viver sem DEUS, algo estará errado e o melhor será revermos os nossos valores.

Sem doação de tempo não existe amor verdadeiro e essa doação pode ser feita através de uma oração, leitura da Palavra, escrevendo uma carta para quem se ama, telefonando, etc. O homem precisa criar uma determinada disciplina em seu relacionamento com DEUS, investindo e administrando o tempo que tem, para que consiga crescer em amor com Ele.

 

Doar tempo para DEUS é diferente de fazer a obra dEle, pois podemos trabalhar para DEUS sem, contudo, estarmos efetivamente com Ele, o que nos torna pessoas frias, duras e secas. Maior é a obra que DEUS vai fazer na nossa vida do que a obra que DEUS vai fazer ATRAVÉS de nossas vidas. Esse tempo que DEUS quer de nós é algo íntimo e pessoal; momento em que seremos cheios, em que Ele encherá nossos copos e jarras, para que possamos distribuir esse mesmo amor ao mundo.

DEUS entregou os mandamentos ao homem para que fossem cumpridos e eles são ORDENS de DEUS; o primeiro deles é para que amemos a DEUS acima de todas as coisas.

“Amarás, pois, o SENHOR teu DEUS de todo o teu coração, e de toda a tua alma, e de todas as tuas forças.” (Deuteronômio 6:5)

Amar a DEUS faz com que o cristão tenha experiências através de alguns fatos:

  • Correspondência: o amor passa a fazer parte de ambos os lados do relacionamento. O homem passa a corresponder o amor transmitido originalmente por DEUS. Pelo fato de DEUS ter nos amado primeiro, somos capazes de amar a DEUS e também as pessoas.

“Nós amamos porque Ele nos amou primeiro.” (1 João 4:19)

  • Ser conhecido: quando o cristão manifesta o seu amor a DEUS, ele prova para o SENHOR que independentemente do que ocorra, a sua vida continuará nas mãos dEle.

“Mas, se alguém ama a DEUS, esse é conhecido dele.” (1 Coríntios 8:3)

  • Receber livramento: há uma promessa de livramento para aqueles que amam a DEUS.

“Porque a Mim se apegou com amor, Eu o livrarei; pô-lo-ei a salvo, porque conhece o meu nome.” (Salmo 91:14)

  • Viver o propósito de DEUS: quando amamos ao SENHOR acima de todas as coisas, sempre estaremos confiantes, qualquer que seja a situação que estivermos enfrentando. Isso permite-nos enxergar o PLANO COMPLETO de DEUS para nós, ao invés de enxergarmos apenas o plano imediato.

“Sabemos que todas as coisas cooperam para o bem daqueles que amam a DEUS, daqueles que são chamados segundo o seu propósito.” (Romanos 8:28)

  • Ser abençoado: DEUS ama abençoar todo seu povo, principalmente aqueles que O amam.

“E será que, se diligentemente obedecerdes a meus mandamentos que hoje vos ordeno, de amar ao SENHOR vosso DEUS, e de o servir de todo o vosso coração e de toda a vossa alma, então darei a chuva da vossa terra a seu tempo, a temporã e a serôdia, para que recolhais o vosso grão, e o vosso mosto e o vosso azeite. E darei erva no teu campo aos teus animais, e comerás, e fartar-te-ás.” (Deuteronômio

11:13-15)

  • Ser obediente: como resultado do nosso amor a DEUS, desenvolvemos uma profunda obediência a Ele.

“Se me amardes, guardareis os meus mandamentos.” (João 14.15)

Aqui está um versículo chave para o entendimento do que é amar a DEUS: aquele que verdadeiramente O ama, coloca-O sobre tudo e todos, fazendo exatamente o que Ele deseja e isso sempre com obediência e humildade.

“Depois de terem comido, perguntou Jesus a Simão Pedro: Simão, filho de João, amas-me (agapos) mais do que estes? Respondeu-lhe: Sim, Senhor; tu sabes que te amo (phileo). Disse-lhe: Apascenta os meus cordeirinhos. Tornou a perguntar-lhe: Simão, filho de João, amas-me (agapos)? Respondeu-lhe: Sim, Senhor; tu sabes que te amo (phileo). Disse-lhe: Pastoreia as minhas ovelhas. Perguntou-lhe terceira vez:

Simão, filho de João, amas-me (phileo)? Entristeceu-se Pedro por lhe ter perguntado pela terceira vez: Amas-me? E respondeu-lhe: Senhor, tu sabes todas as coisas; tu sabes que te amo (phileo). Disse-lhe Jesus: Apascenta as minhas ovelhas.” (João 21:15-17)

Os termos “ágape” e “philéo” são igualmente traduzidos para o português como “amor”, mas vimos que essas duas palavras gregas têm significados diferentes: o último verso mostra-nos Pedro constrangido, admitindo para JESUS que ele ainda tinha o amor “philéo” e JESUS já sabia disso. A partir da habitação do ESPÍRITO SANTO, Pedro teria à sua disposição o amor “ágape”, pois este nada mais é do que o amor de DEUS dentro de nós. O fato de Pedro ter negado a JESUS não queria dizer que não O amasse, mas que ainda não possuía o amor incondicional, uma vez que ele não estava disposto, naquele momento, a morrer por esse amor. Após a ascensão de JESUS e a descida do ESPÍRITO SANTO, Pedro passa a ser morada de DEUS e o amor “ágape” consegue ser desenvolvido no caráter dele. Vemos, então, que o mesmo homem que negara JESUS, declarava com intrepidez a mensagem do Evangelho, sem temer a prisão ou açoites (ver em Atos 4:1-20).

Quando a pessoa permite que o ESPÍRITO SANTO habite nela, ela lutará para andar em Espírito, manifestando nesse caso especificamente, o fruto do amor (ágape). Aquele, então, que negava a DEUS através de suas atitudes, passa a ter firmeza e intrepidez diante das situações, colocando o amor a DEUS sobre todas as coisas em sua vida! Aleluia!

  • Amor ao próximo:

Amar o próximo é o segundo mandamento que DEUS deu ao homem, sendo igualmente necessário destinar-lhe tempo e demonstrar a importância deste em sua vida.

“E o segundo, semelhante a este, é: Amarás o teu próximo como a ti mesmo.” (Mateus 22:39)

“Ouvistes que foi dito: Amarás ao teu próximo, e odiarás ao teu inimigo. Eu, porém, vos digo: Amai aos vossos inimigos, e orai pelos que vos perseguem; para que vos torneis filhos do vosso Pai que está nos céus; porque ele faz nascer o seu sol sobre maus e bons, e faz chover sobre justos e injustos. Pois, se amardes aos que vos amam, que recompensa tereis? não fazem os publicanos também o mesmo?” (Mateus 5:43-46)

O amor é uma atitude e não um sentimento, como o mundo prega, por isso, ESCOLHEMOS amar, ao invés de esperarmos um sentimento brotar para que passemos a ter atitudes de amor. Nossa carne e alma são incentivadas por satanás a amar somente as pessoas que “merecem”, mas, sendo um fruto do ESPÍRITO SANTO em nossa vida, nosso amor será capaz de alcançar, inclusive, nossos inimigos. O verdadeiro amor não deseja o mal e nem se alegra, até mesmo quando o inimigo cai ou perece, antes, busca sempre o bem e jamais acaba.

O amor nunca falha!

“Quando os caminhos do homem agradam ao SENHOR, faz que até os seus inimigos tenham paz com ele.” (Provérbios 16:7)

“Se alguém diz: Eu amo a DEUS, e odeia a seu irmão, é mentiroso. Pois quem não ama a seu irmão, ao qual viu, não pode amar a DEUS, a quem não viu. E dele temos este mandamento, que quem ama a DEUS ame também a seu irmão.” (1 João 4:20 e 21)

  • Amar a si mesmo:

É destinar tempo a si mesmo, aproveitando ao máximo a vida que DEUS te deu.

“Certamente, darás os dízimos de todo o fruto das tuas sementes, que ano após ano se recolher do campo. E, perante o SENHOR, teu DEUS, no lugar que escolher para ali fazer habitar o seu nome, comerás os dízimos do teu cereal, do teu vinho, do teu azeite e os primogênitos das tuas vacas e das tuas ovelhas; para que aprendas a temer o SENHOR, teu DEUS, todos os dias. Quando o caminho te for comprido demais, que os não possas levar, por estar longe de ti o lugar que o SENHOR, teu DEUS, escolher para ali pôr o seu nome, quando o SENHOR, teu DEUS, te tiver abençoado, então, vende-os, e leva o dinheiro na tua mão, e vai ao lugar que o SENHOR, teu DEUS, escolher. Esse dinheiro, dá-lo-ás por tudo o que deseja a tua alma, por vacas, ou ovelhas, ou vinho, ou bebida forte, ou qualquer coisa que te pedir a tua alma; come-o ali perante o SENHOR, teu DEUS, e te alegrarás, tu e a tua casa.” (Deuteronômio 14:22-26)

Além de entregar primeiramente o dízimo para o SENHOR, DEUS nos orienta a separarmos um dízimo para nós mesmos, fazendo tudo o que quisermos desde que esteja de acordo com a vontade dEle. Existe um segredo espiritual em se entregar as primícias para DEUS: a partir dessa atitude, ELE vai dar-nos toda a direção para amarmos ao próximo e a nós mesmos. Precisamos entregar as primícias do nosso TEMPO e da nossa VIDA para DEUS.

A expressão “amarás a teu próximo como a ti mesmo” é mencionada na bíblia por Moisés, Paulo, Tiago e, claro, por JESUS. Um tipo adequado de amor próprio é a base normal do relacionamento com os outros. Em nenhum momento DEUS diz para que odiemos ou negligenciemos a nós mesmos, ou que nos auto-depreciemos.

Autonegação não significa negarmos nosso valor próprio, mas sim negarmos nossa vontade própria, abandonando a busca da nossa glória. A crucificação do eu é a nossa disposição em renunciar o nosso ego carnal, rendendo-nos a DEUS, para que os dons sejam manifestos na nossa vida de acordo com a vontade DELE; não significando que renunciaremos ou depreciaremos os dons que Ele deu-nos.

A auto-estima cristã descansa no firme fundamento de sabermos que somos aceitos, amados e apreciados pelo próprio DEUS. Esse conhecimento gera em nós uma humildade que nasce da gratidão pela graça imerecida de DEUS, e que dEle provém. Sentimentos de inferioridade, insegurança, medo e inadequação não vêm de DEUS, mas de satanás, como uma falsificação da verdadeira humildade.

“O segundo é este: Amarás ao teu próximo como a ti mesmo.” (Marcos 12:31)

“Assim como quereis que os homens vos façam, do mesmo modo lhes fazei vós também.” (Lucas 6:31)

Muitas vezes não conseguimos amar o nosso próximo e nem a DEUS porque não temos amor por nós mesmos. Muitos são os traumas e experiências duras durante nossas vidas, as quais satanás usa para que nos consideremos pessoas sem valor. Até mesmo nossa família pode ser usada pelo inimigo para que nos sintamos desprezados. Mas o SENHOR disse: “ainda que teus pais te abandonem, Eu te recolherei.” (Salmo 27:10).

“Porque eu sou o Senhor teu DEUS, o Santo de Israel, o teu Salvador; por teu resgate dei o Egito, e em teu lugar a Etiópia e Seba. Visto que foste precioso aos meus olhos, e és digno de honra e eu te amo, portanto darei homens por ti, e es povos pela tua vida.” (Isaías 43:3 e 4)

Só podemos dar o que temos: se não temos amor por nossa própria vida, não podemos amar os outros. O primeiro passo é receber o grande amor de DEUS e a cura para toda enfermidade da alma.

“(…) porque ele mesmo disse: Não te deixarei, nem te desampararei.” (Hebreus 13:5b)

Ainda que você tenha imperfeições, lembre-se que DEUS te ama, e pagou um alto preço para provar esse amor. Quando somos cheios de amor, conseguimos praticar os mandamentos de JESUS.

Não existem condições para o amor de DEUS.

Todo cristão é um pecador incondicionalmente amado por DEUS. Não se deve condicionar o amor de DEUS às ações humanas, mas quando o cristão reconhece e aceita esse fato como real, entra na esfera do amor de DEUS, tornando-se igualmente amoroso. O amor a DEUS, ao próximo e a si mesmo, são derivados do próprio amor de DEUS. O amor de JESUS deve ser nossa motivação de vida e principal característica, para que possamos realmente seguir a CRISTO, pois é incrível o que DEUS fez por nós, a prova de amor que Ele nos deu: você ofereceria a vida de seu filho por outro homem?

Motivado por amor, DEUS, mesmo sem ter obrigação nenhuma, optou em ofertar o Seu Filho para nos salvar, oferecendo-O a todas as pessoas, quer elas aceitem esse sacrifício ou não. Que em nossas vidas manifeste-se o amor a DEUS, ao próximo e a nós mesmos.

Hoje não vivemos debaixo da lei, mas sim debaixo da graça; o que significa dizer que somos salvos pela graça de DEUS, através do sacrifício de JESUS na cruz e não pelas obras da lei. Vivemos, contudo, para cumprir a mais importante lei: do amor. Se a cumprirmos, estaremos cumprindo todas as demais. Não há dúvida de que o amor é o centro em torno do qual giram todos os mandamentos e direções das escrituras, sendo também o princípio que lhes dá o seu significado. Hoje, não é suficiente que evitemos assassinar, adulterar ou roubar, pois agora os mandamentos são outros; necessário é que não guardemos rancor, não sejamos lascivos e nem gananciosos. Essas são as novas exigências, que podem ser cumpridas através do ESPÍRITO de DEUS. Conseguimos amar porque primeiro somos amados pelo SENHOR, recebemos o Seu amor para poder transmiti-lo aos outros e a Ele mesmo. Amamos a DEUS por causa do Seu amor. Aconteça o que acontecer em nossas vidas, jamais deixaremos de ser amados por Ele.

“Que diremos, pois, à vista destas coisas? Se DEUS é por nós, quem será contra nós? Aquele que não poupou o seu próprio Filho, antes, por todos nós o entregou, porventura, não nos dará graciosamente com ele todas as coisas? Quem intentará acusação contra os eleitos de DEUS? É DEUS quem os justifica. Quem os condenará? É CRISTO JESUS quem morreu ou, antes, quem ressuscitou, o qual está à direita de DEUS e também intercede por nós. Quem nos separará do amor de CRISTO? Será tribulação, ou angústia, ou perseguição, ou fome, ou nudez, ou perigo, ou espada? Como está escrito: Por amor de ti, somos entregues à morte o dia todo, fomos considerados como ovelhas para o matadouro. Em todas estas coisas, porém, somos mais que vencedores, por meio daquele que nos amou. Porque eu estou bem certo de que nem a morte, nem a vida, nem os anjos, nem os principados, nem as coisas do presente, nem do porvir, nem os poderes, nem a altura, nem a profundidade, nem qualquer outra criatura poderá separar-nos do amor de DEUS, que está em CRISTO JESUS, nosso SENHOR.” (Romanos 8:31-39)

O amor de DEUS é incondicional e nada pode separar-nos desse amor!

Questões relacionadas ao estudo.

1) Descreva o tipo de amor que caracteriza DEUS.

2) JESUS resumiu todas as leis em duas. Quais?

3) Com suas palavras, por que devemos amar a DEUS em primeiro lugar?

4) Como podemos amar o próximo?

Aula prática.

Durante sua semana demonstre de forma concreta como você tem amado a DEUS, por exemplo, investindo tempo com Ele em adoração, em oração e leitura da palavra, amando ao próximo, através de palavras e de tempo gasto e amado a si mesmo por meio da valorização suas qualidades e bênçãos espirituais e materiais que DEUS te deu.

Fonte: Igreja Bola de Neve

Um Abraço,

Pregador Jefferson Assis

Compromisso com a obra de Deus e certeza do seu chamado!

 

Compartilhe essa mensagem edificante... Share on Facebook
Facebook
Pin on Pinterest
Pinterest
Tweet about this on Twitter
Twitter
Share on LinkedIn
Linkedin

Seja o primeiro a comentar on "ESTUDO SOBRE O AMOR DE DEUS"

Deixe um comentário

Seu e-mail não será publicado.




Blue Captcha Image
Atualizar

*