Escatologia

MERGULHANDO NA PALAVRA – ESCATOLOGIA

Vamos falar sobre Arrebatamento, o período da Tribulação, a Batalha do Armagedon, Cristo Reina por Mil Anos, O Julgamento do Trono Branco.

O Arrebatamento

A verdadeira Igreja é formada por pessoas que genuinamente reconhecem JESUS CRISTO como seu SENHOR, Salvador e que têm seus pecados perdoados. Estes são aqueles que serão arrebatados aos céus, sendo certo que, o arrebatamento não é a salvação, uma vez que muitos santos já morreram antes de tal fato. Contudo, todos os que forem arrebatados serão salvos. Quando DEUS Pai der o sinal, o que poderá ocorrer a qualquer momento, um brado se ouvirá e os verdadeiros cristãos serão levados às nuvens, ao encontro do SENHOR nos ares, para, então, serem levados ao céu.

O arrebatamento da Igreja acontecerá antes do período de sete anos de tribulação, como uma forma de escape desse momento da história. Há, porém, pessoas que não estarão firmes com JESUS e, por isso, não serão arrebatados, e passarão pela tribulação, sendo salvos durante esse período, caso venha a caminhar em santidade com DEUS.

“Porquanto o SENHOR mesmo, dada a sua palavra de ordem, ouvida a voz do arcanjo, e ressoada a trombeta de DEUS, descerá dos céus, e os mortos em Cristo ressuscitarão primeiro; depois, nós, os vivos, os que ficarmos, seremos arrebatados juntamente com eles, entre nuvens, para o encontro do SENHOR nos ares, e assim estaremos para sempre com o SENHOR.” (1 Tessalonicenses 4:16-17)

Todo aquele que se encontrar com JESUS nos ares, receberá um corpo glorificado, pois a carne humana não consegue suportar a glória de DEUS, devido à sua contaminação. Existe uma luta constante entre carne e espírito, pois ela não se converte. Em virtude disso, DEUS trocará nosso corpo contaminado por outro glorificado, para que possamos vê-lo face a face.

“Eis que vos digo um mistério: Nem todos dormiremos, mas transformados seremos todos, num momento, num abrir e fechar de olhos, ao ressoar da última trombeta. A trombeta soará, os mortos ressuscitarão incorruptíveis, e nós seremos transformados. Porque é necessário que este corpo corruptível se revista da incorruptibilidade, e que o corpo mortal se revista da imortalidade. E, quando este corpo corruptível se revestir da incorruptibilidade, e o que é mortal se revestir da imortalidade, então se cumprirá a palavra que está escrita: Tragada foi a morte pela vitória.” (1 Coríntios 15:51-54)

Uma parte da Igreja, aquela constituída dos que não estiverem firmes com JESUS, será deixada na terra, para viver o período da tribulação. A Igreja é formada por joio e trigo e nesse momento haverá a separação entre ambos.

Deixai-os crescer juntos até à colheita, e, no tempo da colheita, direi aos ceifeiros: Ajuntai primeiro o joio, atai-o em feixes para ser queimado; mas o trigo, recolhei-o no meu celeiro.” (Mateus 13:30)

A Igreja será arrebatada antes do início do período da tribulação e levada por CRISTO para a casa do Pai.

E para aguardardes dos céus o seu Filho, a quem Ele ressuscitou dentre os mortos, JESUS, que nos livra da ira vindoura”. (1 Tessalonicenses 1:10)

 “Porque guardaste a palavra da minha perseverança, também eu te guardarei da hora da provação que há de vir sobre o mundo inteiro, para experimentar os que habitam sobre a terra.” (Apocalipse 3:10)

A verdadeira Igreja de JESUS não passará pela tribulação, antes, estará no céu durante esse período, passando pelo julgamento diante do Trono de CRISTO. Isso será uma espécie de preparação (chamada de bodas do Cordeiro – Apocalipse 19:7) para que possa acompanhar o SENHOR em sua segunda vinda à terra.

“E seguiam-no os exércitos que há no céu, montando cavalos brancos, com vestiduras de linho finíssimo, branco e puro.” (Apocalipse 19:14)

 

O Tribunal de Cristo

Todos os cristãos, aqueles que foram salvos, comparecerão perante CRISTO para serem julgados por Ele. Cabe ressaltar que não será um julgamento para determinar a salvação ou não, pois somente os que foram salvos estarão ali.

“Contudo, se o que alguém edifica sobre o fundamento é ouro, prata, pedras preciosas, madeira, feno, palha, manifesta se tornará a obra de cada um, pois o dia a demonstrará, porque está sendo revelada pelo fogo; e qual seja a obra de cada um, o próprio fogo o provará. Se permanecer a obra de alguém que sobre o fundamento edificou, esse receberá galardão; se a obra de alguém se queimar, sofrerá ele dano; mas esse mesmo será salvo, todavia, como que através do fogo.” (1 Coríntios 3:12-15)

Diante do Tribunal de Cristo nossas obras passarão pelo fogo para serem julgadas; se nós tivemos atitudes e motivações corretas em nossa vida, elas suportarão esse teste de fogo e receberemos o galardão. Se, ao contrário disso, nossas atitudes e motivações foram somente para agradar a homens, elas serão queimadas como palha e não haverá galardão, contudo, não perderemos a salvação.

Receber a JESUS como SENHOR e Salvador de nossas vidas não nos custa nada, pois foi Ele quem suportou o alto custo disso naquela cruz. Na verdade, o que nos custa é seguir a Cristo, pois essa atitude deve gerar uma entrega de nossa vida, sonhos, vontades carnais, preocupações, além de conduzir-nos à prática de boas obras: o bom testemunho de vida, a adoração a DEUS, a generosidade, o amor ao próximo, etc.

 

A Tribulação

O período de tribulação servirá como uma forma de corrigir e atrair as pessoas ao SENHOR, uma vez que ela promoverá arrependimento nos homens. A vontade de DEUS é que toda a humanidade se volte a Ele. DEUS é bom e justo, por isso, aqueles que já caminham com o SENHOR, não terão de enfrentar a tribulação.

De acordo com o livro de Daniel, quando a aliança entre o anticristo e Israel for firmada, o período da tribulação terá seu início.

Ele fará firme aliança com muitos por uma semana; na metade da semana fará cessar o sacrifício e a oferta de manjares; sobre a asa das abominações virá o assolador, até que a destruição, que está determinada, se derrame sobre ele.” (Daniel 9:27)

O anticristo é um homem, líder de âmbito mundial, cujo papel tem sido preparado por satanás para assumir o governo desse mundo, promovendo a paz e a estabilidade econômica dos países. Será aquele que aparentemente fará o bem às nações, levantando economias decaídas e acabando com a miséria e a fome no mundo. Além disso, fará com que o conflito entre judeus e árabes, que se arrasta por dezenas de séculos, termine, através da formulação e implantação de um tratado de paz no Oriente Médio. As fronteiras da nação de Israel serão delimitadas, haverá o inédito estabelecimento de relações comerciais entre judeus e seus vizinhos e a promessa de uma proteção contra eventuais ataques terroristas, fazendo com que o constante estado de alerta do exército israelense seja minimizado. Tudo isso mostra que o diabo iludirá o povo judeu para tentar assumir o controle da cidade de Jerusalém.

“Quando, pois, virdes o abominável da desolação, de que falou o profeta Daniel, no lugar santo(…) porque nesse tempo haverá grande tribulação, como desde o princípio do mundo até agora não tem havido, e nem haverá jamais.” (Mateus 24:15 e 21)

Essa aliança terá duração de sete anos, com rompimento após três anos e meio. Por isso, dizemos que o período é dividido em dois: tribulação e grande tribulação.

Antes e principalmente durante a tribulação, as pessoas serão convidadas e incentivadas a colocarem sobre si a marca da besta, sob a forma do tão comentado “chip”, que já tem seus testes em andamento nos dias atuais. Esse “chip” será implantado na testa ou na mão direita das pessoas e a sua proposta será de trazer segurança, comodidade, colaborar com a área da saúde, oferecer estabilidade e inclusão social.

“A todos, os pequenos e os grandes, os ricos e os pobres, os livres e os escravos, faz que lhes seja dada certa marca sobre a mão direita, ou sobre a fronte, para que ninguém possa comprar ou vender, senão aquele que tem a marca, o nome da besta, ou o número do seu nome. Aqui está a sabedoria. Aquele que tem entendimento calcule o número da besta, pois é número de homem. Ora, esse número é seiscentos e sessenta e seis.” (Apocalipse 13:16 e 18)

Somente após a quebra do pacto firmado com Israel, ou seja, na grande tribulação, o anticristo mostrará ao mundo seu real objetivo: tornar-se líder mundial e governar com força política ditatorial e militar. O governo do anticristo somente terminará com a batalha do Armagedom.

Durante a grande tribulação, a perseguição aos judeus e aos novos crentes em JESUS será feita abertamente; todos serão forçados a colocar a marca da besta, porém, aqueles que se recusarem e perseverarem em fé, serão salvos.

“Seguiu-se a estes outro anjo, o terceiro, dizendo, em grande voz: Se alguém adora a besta e a sua imagem, e recebe a sua marca na fronte, ou sobre a mão, também este beberá do vinho da cólera de DEUS, preparado, sem mistura, do cálice da sua ira, e será atormentado com fogo e enxofre, diante dos santos anjos e na presença do Cordeiro. A fumaça do seu tormento sobe pelos séculos dos séculos, e não têm descanso algum, nem de dia nem de noite, os adoradores da besta e da sua imagem, e quem quer que receba a marca do seu nome. Aqui está a perseverança dos santos, os que guardam os mandamentos de DEUS e a fé em JESUS.” (Apocalipse 14:9-12)

Aqueles que forem martirizados durante o período da tribulação estarão salvos e viverão na presença do SENHOR, participando ativamente no Reinado do Milênio.

“Vi também tronos, e nestes sentaram-se aqueles aos quais foi dada autoridade de julgar. Vi ainda as almas dos decapitados por causa do testemunho de JESUS, bem como por causa da palavra de DEUS, tantos quantos não adoraram a besta, nem tampouco a sua imagem, e não receberam a marca na fronte e na mão; e viveram e reinaram com CRISTO durante mil anos.” (Apocalipse 20:4)

A tribulação será um grande holocausto, pois culminará no encontro da ira de DEUS por causa da perseguição ao seu povo, da fúria de satanás e da maldade natural do homem perdido; em função disso, JESUS disse que esse período seria abreviado, pois, sem dúvida, será a pior época da História.

“Não tivessem aqueles dias sido abreviados, ninguém seria salvo; mas, por causa dos escolhidos, tais dias serão abreviados.” (Mateus 24:22)

 Daniel, ao profetizar a respeito das 70 semanas ou 490 anos, diz que a tribulação teria a duração de uma semana, mas usa uma palavra hebraica que designa uma semana de anos, ou seja, cada semana correspondendo a sete anos. As primeiras 69 semanas (de anos) começaram com o decreto de Artaxerxes (Esdras 7:11-28) autorizando os judeus a retornarem para Jerusalém, levando à restauração do templo e à reconstrução dos muros em Jerusalém, e terminaram com a rejeição de JESUS pelo povo judeu, durando exatamente 483 anos. A septuagésima (70ª) e última semana, com duração de 7 anos, terá início com o início da tribulação, quando a Igreja for arrebatada, concluindo, então, o período total profetizado de 490 anos (setenta semanas).

Setenta semanas estão determinadas sobre o teu povo, e sobre a tua santa cidade para fazer cessar a transgressão, para dar fim aos pecados, para expiar a iniquidade, para trazer a justiça eterna, para selar a visão e a profecia, e para ungir o Santo dos Santos. Sabe, e entende: desde a saída da ordem para restaurar e para edificar Jerusalém, até ao Ungido, ao Príncipe, sete semanas e sessenta e duas Semanas: as praças e as circunvalações se reedificarão, mas em tempos angustiosos. Depois das sessenta e duas semanas será morto o Ungido e já não estará; e o povo de um príncipe, que há de vir, destruirá a cidade e o santuário, e o seu fim será num dilúvio, e até ao fim haverá guerra; desolações são determinadas. Ele fará firme aliança com muitos por uma semana; na metade da semana fará cessar o sacrifício e a oferta de manjares; sobre a asa das abominações virá o assolador, até que a destruição, que está determinada, se derrame sobre ele.” (Daniel 9:24-27)

Em Apocalipse, vemos que os sete anos estão divididos em dois períodos de 1.260 dias, 42 meses, ou três anos e meio cada.

“Mas deixa de parte o átrio exterior do santuário, e não o meças, porque foi ele dado aos gentios; estes, por quarenta e dois meses, calcarão aos pés a cidade santa. Darei às minhas duas testemunhas que profetizem por mil duzentos e sessenta dias, vestidas de pano de saco.” (Apocalipse 11:2 e 3)

 “A mulher, porém, fugiu para o deserto, onde lhe havia DEUS preparado lugar para que nele a sustentem durante mil, duzentos e sessenta dias. Houve peleja no céu. Miguel e os seus anjos pelejaram contra o dragão. Também pelejaram o dragão e seus anjos.” (Apocalipse 12:6 e 7)

“Foi-lhe dada uma boca que proferia arrogâncias e blasfêmias, e autoridade para agir quarenta e dois meses.” (Apocalipse 13:5)

Esses dois períodos de tempo somam sete anos: a primeira metade (42 meses) é a tribulação e a última, a grande tribulação.

 

A segunda vinda de JESUS e a batalha do Armagedom

O governo do anticristo durará até a segunda vinda de JESUS, cujo retorno acontecerá em Jerusalém, exatamente no Monte das Oliveiras. Essa volta resultará numa batalha entre o bem e o mal e o anticristo lutará para destruir Jerusalém, os judeus e os cristãos.

Quando o exército maligno estiver a ponto de executar seu plano, DEUS intervirá e JESUS CRISTO voltará para salvar todo o seu povo, lançando no lago de fogo o anticristo e o falso profeta. A batalha mal terá início e já será vencida por JESUS, pois, nem mesmo o mais poderoso ser dessa Terra é e será páreo para o poder de DEUS.

“Vi o céu aberto, e eis um cavalo branco. O seu cavaleiro se chama Fiel e Verdadeiro, e julga e peleja com justiça. Os seus olhos são chama de fogo; na sua cabeça há muitos diademas; tem um nome escrito que ninguém conhece senão Ele mesmo. Está vestido com um manto tinto de sangue, e o seu nome se chama o Verbo de Deus; e seguiam-no os exércitos que há no céu, montando cavalos brancos, com vestiduras de linho finíssimo, branco e puro. Sai da sua boca uma espada afiada, para com ela ferir as nações; e Ele mesmo as regerá com cetro de ferro, e pessoalmente pisa o lagar do vinho do furor da ira do DEUS Todo-Poderoso. Tem no seu manto e na sua coxa, um nome inscrito: REI DOS REIS E SENHOR DOS SENHORES. Então vi um anjo posto em pé no sol, e clamou com grande voz, falando a todas as aves que voam pelo meio do céu: Vinde, reuni-vos para a grande ceia de DEUS, para que comais carnes de reis, carnes de comandantes, carnes de poderosos, carnes de cavalos e seus cavaleiros, carnes de todos, quer livres, quer escravos, assim pequenos como grandes. E vi a besta e os reis da terra, com os seus exércitos, congregados para pelejarem contra aquele que estava montado no cavalo, e contra o seu exército. Mas a besta foi aprisionada e, com ela o falso profeta que, com os sinais feitos diante dela, seduziu aqueles que receberam a marca da besta, e eram os adoradores da sua imagem. Os dois foram lançados vivos dentro do lago de fogo, que arde com enxofre. Os restantes foram mortos com a espada que saía da boca daquele que estava montado no cavalo. E todas as aves se fartaram das suas carnes.” (Apocalipse 19:11-21)

Na batalha do Armagedom, que acontecerá no final da tribulação, JESUS aparecerá com poder e grande glória, acompanhado de um exército constituído por anjos, santos do antigo testamento e da igreja arrebatada (Apocalipse 19:14), a fim de estabelecer o Seu reinado de justiça na terra por um período de mil anos. Ele impedirá a destruição do povo judeu e também dos cristãos remanescentes da tribulação. Será uma guerra realmente justa, pois somente Ele tem condições de julgar justamente, uma vez que seus olhos estão em todo lugar e vêem todas as coisas; isso dará condições a Ele de revelar a verdade das nações e de cada ser humano.

O retorno de JESUS dará início ao seu Reino Milenar sobre a terra, sendo estabelecido na posição que lhe cabe: Rei acima de todos os reis e SENHOR acima de todos os senhores.

“O SENHOR será rei sobre toda a terra; naquele dia um só será o SENHOR, e um só será o seu nome.” (Zacarias 14:9)

O retorno de CRISTO nos ares para arrebatar Sua Igreja antecede a tribulação, enquanto sua segunda vinda ocorre no fim desse período. Durante o arrebatamento, os cristãos sobem para a casa do Pai e na segunda vida, voltam com CRISTO à Terra, acompanhados, inclusive, dos anjos, formando um grande exército celestial.

 

O Julgamento das nações

“Quando vier o Filho do homem na sua majestade e todos os anjos com ele, então se assentará no trono da sua glória; e todas as nações serão reunidas em sua presença, e Ele separará uns dos outros, como o pastor separa dos cabritos as ovelhas; e porá as ovelhas à sua direita, mas os cabritos à esquerda; então dirá o Rei aos que estiverem à sua direita: Vinde, benditos de meu Pai! Entrai na posse do reino que vos está preparado desde a fundação do mundo. Porque tive fome e me destes de comer; tive sede e me destes de beber; era forasteiro e me hospedastes; estava nu e me vestistes; enfermo e me visitastes; preso e fostes ver-me. Então perguntarão os justos: Senhor, quando foi que te vimos com fome e te demos de comer? Ou com sede e te demos de beber? E quando te vimos forasteiro e te hospedamos? Ou nu e te vestimos? E quando te vimos enfermo ou preso e te fomos visitar? O Rei, respondendo, lhes dirá: Em verdade vos afirmo que sempre que o fizestes a um destes meus pequeninos irmãos, a mim o fizestes. Então o Rei dirá também aos que estiverem à sua esquerda: Apartai-vos de mim, malditos, para o fogo eterno, preparado para o diabo e seus anjos. Porque tive fome e não me destes de comer; tive sede e não me destes de beber; sendo forasteiro, não me hospedastes; estando nu, não me vestistes; achando-me enfermo e preso, não fostes ver-me. E eles lhe perguntarão: Senhor, quando foi que te vimos com fome, com sede, forasteiro, nu, enfermo ou preso, e não te assistimos? Então lhes responderá: Em verdade vos digo que sempre que o deixastes de fazer a um destes mais pequeninos, a mim o deixastes de fazer. E irão estes para o castigo eterno, porém os justos para a vida eterna.” (Mateus 25:31-46)

Também conhecido como julgamento das ovelhas e bodes ou cabritos, esse será o momento em que JESUS separará os cristãos dos incrédulos, ao final da tribulação. As ovelhas representam os cristãos que irão para o Reino Milenar e os bodes ou cabritos, aqueles que, mesmo tendo passado pela tribulação, desprezaram a CRISTO, sendo levados ao “castigo eterno”.

 

O anticristo e o falso profeta são lançados no lago de fogo

“Mas a besta foi aprisionada, e com ela o falso profeta que, com os sinais feitos diante dela, seduziu aqueles que receberam a marca da besta, e eram os adoradores da sua imagem. Os dois foram lançados vivos dentro do lago de fogo, que arde com enxofre. Os restantes foram mortos com a espada que saía da boca daquele que estava montado no cavalo. E todas as aves se fartaram das suas carnes.” (Apocalipse 19:20-21).

Esses dois homens, o anticristo (besta) e o falso profeta, serão imediatamente lançados dentro do lago de fogo na batalha do Armagedom e ocorrerá o julgamento de suas más obras, praticadas durante o período da tribulação, uma vez que, ao longo de todo esse tempo, ambos foram cúmplices no plano maligno de enganar as pessoas e conduzi-las ao inferno.

 

Satanás é preso por 1.000 anos

“Então vi descer do céu um anjo; tinha na mão a chave do abismo e uma grande corrente. Ele segurou o dragão, a antiga serpente, que é o diabo, satanás, e o prendeu por mil anos; lançou-o no abismo, fechou-o, e pôs selo sobre ele, para que não mais enganasse as nações até se completarem os mil anos. Depois disto é necessário que ele seja solto pouco tempo.” (Apocalipse 20:1-3)

Satanás, o maior mentiroso e enganador do mundo, será aprisionado no abismo profundo e tal fato pode ser comparado à prisão de um criminoso, enquanto aguarda seu julgamento. Será necessário, porém, que ele seja solto por um tempo, como última tentativa de derrotar JESUS, mas, é claro, fracassará mais uma vez.

 

A Ressurreição

Todas as pessoas que morreram ou ainda morrerão fisicamente, cedo ou tarde passarão pela ressurreição. Para melhor entendimento, iremos dividir a ressurreição em dois tipos, uma para os santos e outra para os incrédulos. Para a ressurreição dos santos podemos ainda dividi-la em três momentos distintos na história:

1º) No momento da ressurreição de CRISTO:

“Eis que o véu do santuário se rasgou em duas partes, de alto a baixo: tremeu a terra, fenderam-se as rochas, abriram-se os sepulcros e muitos corpos de santos, que dormiam, ressuscitaram; e, saindo dos sepulcros depois da ressurreição de JESUS, entraram na cidade santa e apareceram a muitos.” (Mateus 27:51-53).

2º) No momento do arrebatamento da Igreja, imediatamente anterior à tribulação, onde todos os santos serão levados à casa do Pai:

“Não queremos, porém, irmãos, que sejais ignorantes com respeito aos que dormem, para não vos entristecerdes como os demais, que não têm esperança. Pois, se cremos que JESUS morreu e ressuscitou, assim também DEUS, mediante JESUS, trará juntamente em sua companhia os que dormem. (…) Porquanto o SENHOR mesmo, dada a sua palavra de ordem, ouvida a voz do arcanjo, e ressoada a trombeta de DEUS, descerá dos céus, e os mortos em Cristo ressuscitarão primeiro; depois, nós, os vivos, os que ficarmos, seremos arrebatados juntamente com eles, entre nuvens, para o encontro do SENHOR nos ares, e assim estaremos para sempre com o SENHOR.” (1 Tessalonicenses 4:13-17)

3º) No momento pós tribulação, onde os santos que passaram pela tribulação e guardaram JESUS como SENHOR e Salvador vieram a morrer (podendo até ser considerados mártires):

“Vi também tronos; e nestes sentaram-se aqueles aos quais foi dada autoridade de julgar. Vi ainda as almas dos decapitados por causa do testemunho de JESUS, bem como por causa da palavra de DEUS, tantos quanto não adoraram a besta, nem tampouco a sua imagem, e não receberam a marca na fronte e na mão; e viveram e reinaram com CRISTO durante mil anos. Os restantes dos mortos não reviveram até que se completassem os mil anos. Esta é a primeira ressurreição. Bem-aventurado e santo é aquele que tem parte na primeira ressurreição; sobre esses a segunda morte não tem autoridade, pelo contrário, serão sacerdotes de DEUS e de CRISTO, e reinarão com Ele os mil anos.” (Apocalipse 20:4-6)

O outro momento de ressurreição acontecerá para os incrédulos, aqueles que morreram sem a salvação, onde eles ressuscitarão para serem julgados por suas obras no Grande Julgamento do Trono Branco, após o Milênio.

“Vi um grande trono branco e aquele que nele se assenta, de cuja presença fugiram a terra e o céu, e não se achou lugar para eles. Vi também os mortos, os grandes e pequenos, postos em pé diante do trono. Então se abriram livros. Ainda outro livro, o livro da vida, foi aberto. E os mortos foram julgados, segundo as suas obras, conforme o que se achava escrito nos livros.” (Apocalipse 20:11-12)

 

O Milênio

Ao vencedor, dar-lhe-ei sentar-se comigo no meu trono, assim como também eu venci, e me assentei com meu Pai no seu trono.” (Apocalipse 3:21)

O Milênio é o período de mil anos em que JESUS reinará, fisicamente, a partir de Jerusalém, sobre o mundo inteiro. O cristão ora por esse reino, pois ele será perfeito e justo, contrariando todos os reinados já existentes na História. O mal não terá permissão de existir ali, pois satanás estará preso.

Durante o Milênio, todos os membros da Igreja, do período anterior à tribulação, vão reinar e governar com CRISTO. Os discípulos se assentarão com JESUS no trono do reino e governarão sobre as 12 tribos de Israel, conforme o Senhor prometera.

“JESUS lhes respondeu: Em verdade vos digo que vós, os que me seguistes, quando, na regeneração, o Filho do homem se assentar no trono da sua glória, também vos assentareis em doze tronos para julgar as doze tribos de Israel.” (Mateus 19:28)

“Bem-aventurado e santo é aquele que tem parte na primeira ressurreição; sobre esses a segunda morte não tem autoridade, pelo contrário, serão sacerdotes de DEUS e de CRISTO, e reinarão com Ele os mil anos.” (Apocalipse 20:6)

JESUS reinará de Jerusalém para todo o mundo, após tomar posse da Terra e restabelecer o trono Davídico, em cumprimento aos propósitos do Milênio: restauração física e espiritual de Israel; governo de CRISTO sobre o mundo e restauração dos gentios. Diante de tudo isso, será vivida a plenitude de DEUS nessa terra. A Igreja, como noiva, fará parte das atividades do Milênio. Assim que o anticristo profanar o templo de Jerusalém, no período da tribulação, os judeus ficarão desiludidos, se voltarão para o Messias e DEUS os preservará de maneira sobrenatural, sustentando-os pelos últimos três anos e meio da tribulação.

“Dize-lhes, pois: Assim diz o SENHOR DEUS: Eis que eu tomarei os filhos de Israel de entre as nações, para onde eles foram, e os congregarei de todas as partes, e os levarei para a sua própria terra. Farei deles uma só nação na terra, nos montes de Israel, e um só Rei de todos eles. Nunca mais serão duas nações; nunca mais para o futuro se dividirão em dois reinos.” (Ezequiel 37:21-22)

 

Satanás é solto para ser lançado no lago de fogo

“Quando, porém, se completarem os mil anos, satanás será solto da sua prisão, e sairá a seduzir as nações que há nos quatro cantos da terra, Gogue e Magogue, a fim de reuni-los para a peleja. O número desses é como a areia do mar. Marcharam então pela superfície da terra e sitiaram o acampamento dos santos e a cidade querida; desceu, porém, fogo do céu e os consumiu. O diabo, o sedutor deles, foi lançado para dentro do lago de fogo e enxofre, onde também se encontram não só a besta como o falso profeta; e serão atormentados de dia e de noite pelos séculos dos séculos.” (Apocalipse 20:7-10)

DEUS soltará satanás com o propósito de lançá-lo definitivamente no lago de fogo e enxofre, onde permanecerá, junto do anticristo e do falso profeta, no castigo eterno.

 

O Julgamento do Grande Trono Branco

“Vi um grande trono branco e aquele que nele se assenta, de cuja presença fugiram a terra e o céu, e não se achou lugar para eles. Vi também os mortos, os grandes e pequenos, postos em pé diante do trono. Então se abriram livros. Ainda outro livro, o livro da vida, foi aberto. E os mortos foram julgados, segundo as suas obras, conforme o que se achava escrito nos livros.” (Apocalipse 20:11-12)

Trata-se do julgamento final da História, em que todas as pessoas que rejeitaram a JESUS e o dom gratuito da salvação, terão de se apresentar diante de DEUS para prestar contas de suas vidas. Os crentes em JESUS, de todas as épocas, não precisarão participar desse momento e, com exceção destes, todos os demais, inclusive os incrédulos, terão suas obras medidas por DEUS em conformidade com a justiça dEle, lembrando que a bíblia diz que a justiça dos homens é como trapo de imundícia.

“Mas todos nós somos como o imundo, e todas as nossas justiças como trapo da imundícia.” (Isaías 64:6)

JESUS CRISTO, aquele que foi rejeitado e escarnecido pelo mundo, se assentará no Grande Trono Branco para julgar o mundo. Esse julgamento manifestará a justiça e a eqüidade de DEUS, calando todos os que escarnecem e negam a JESUS; levando todos a dobrarem seus joelhos e confessarem que ELE é o SENHOR. Os santos já terão feito isso e não serão julgados nesse momento; será somente para aqueles que não confiaram suas vidas a JESUS.

“Pelo que também DEUS o exaltou sobremaneira e lhe deu o nome que está acima de todo nome, para que ao nome de JESUS se dobre todo joelho, nos céus, na terra e debaixo da terra, e toda língua confesse que JESUS CRISTO é SENHOR, para glória de DEUS Pai.” (Filipenses 2:9-11)

Fonte: Igreja Bola de Neve

logo_menor

 

Seja o primeiro a comentar on "Escatologia"

Deixe um comentário

Seu e-mail não será publicado.




Blue Captcha Image
Atualizar

*